sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Governo do Estado publica primeiro boletim oficial do programa de Estudos Avançados para Líderes Públicos

Conforme reportamos há pouco, a Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão do Paraná está participando do "Encontro de Prefeitos & Prefeitas Eleitas - Gestão 2017-2020", que acontece em Foz do Iguaçu e reúne cerca de 1.800 pessoas.

Promovido pelo Governo do Estado e o Sebrae-PR, o evento faz parte do Programa de Estudos Avançados para Líderes Públicos é organizado pela Casa Civil e tem o objetivo de apoiar os prefeitos no planejamento dos primeiros dias de administração e apresentar programas do Estado que podem ser implementados nos municípios.

Ontem, no final da tarde, o governo lançou o primeiro boletim oficial do evento. Clique no link abaixo para acessar um resumo dos principais temas debatidos.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Toyota vai investir R$ 600 milhões para ampliar fábrica de motores no País

Seis meses após inaugurar a primeira fábrica de motores da marca na América do Sul, a Toyota confirmou a segunda fase do projeto, com investimento de R$ 600 milhões em Porto Feliz (SP), onde produz propulsores para o compacto Etios. Com o novo aporte, a empresa passará a produzir também motores para o sedã Corolla, hoje importados do Japão. Somando a primeira etapa, o projeto custará R$ 1,18 bilhão.

A capacidade da fábrica será ampliada de 108 mil para 174 mil peças ao ano e deve gerar 200 vagas a partir da segunda metade de 2019, quando o novo motor começará a ser feito. Hoje, a unidade emprega 320 pessoas.

Em visita ao presidente Michel Temer, em Brasília, para anunciar o projeto, o presidente da Toyota para a América Latina e Caribe, Steve St. Angelo, afirmou que “o investimento para produzir motores para o Corolla representa um sinal do comprometimento de longo prazo que temos com o Brasil e a América Latina”.

O plano de ampliar a capacidade da planta estava previsto desde 2012, quando a montadora japonesa anunciou a nova fábrica. Apesar da crise que levará a produção brasileira de veículos ao menor nível em dez anos, o grupo manteve seu cronograma.

“Apostamos que o mercado brasileiro vai melhorar, mas também estamos trabalhando para ampliar exportações, que este ano vão crescer 20%”, disse o diretor de comunicação e assuntos governamentais, Ricardo Bastos. A empresa exporta veículos para Argentina, Uruguai, Paraguai e Peru – que devem adquirir este ano 40 mil unidades – e busca novos clientes.

O grupo projeta para 2017 alta de um dígito nas vendas totais do mercado, que este ano devem ter recuo de 20% em relação a 2015, com cerca de 2 milhões de veículos.

St. Angelo afirmou que a unidade de motores “é um modelo para o futuro da manufatura global e estabelece um novo padrão para a inovação e a excelência”. Acrescentou ainda que “vamos continuar trabalhando juntos para fazer o Brasil maior e melhor”.

Segundo a montadora, a fábrica é considerada uma das mais modernas do mundo e uma das primeiras da marca a deter os três processos industriais dentro de um único local – fundição, usinagem e montagem.

A nacionalização de componentes, de acordo com Bastos, faz parte da estratégia da empresa para o Brasil. “Também é uma forma de evitar a flutuação cambial e dar maior segurança à operação”.
 
A verba para o novo investimento deve ser gerada pela operação local, mas, se for necessário, o grupo poderá recorrer à matriz no Japão, disse Bastos.

Capacidade. Neste ano, a Toyota também anunciou investimento de R$ 48 milhões para a revitalização da unidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde são produzidos componentes.

O grupo tem duas fábricas de automóveis, uma em Indaiatuba, para a produção do Corolla – modelo que será totalmente renovado em dois anos – e outra em Sorocaba, para o Etios.

O investimento para a produção do novo Corolla ainda está sendo avaliado pela empresa. A fábrica de Indaiatuba opera no limite de capacidade e o modelo é o quarto mais vendido no País atualmente, com 53,7 mil unidades até outubro.

Já a filial de Sorocaba teve sua capacidade anual ampliada de 84 mil para 108 mil unidades do Etios em 2015, mas, em razão da crise econômica, essa nova capacidade ainda não é utilizada. De qualquer forma, a Toyota é uma das poucas montadoras que não recorreu a medidas como corte de funcionários, suspensão de contratos e férias extras.

Câmara no Encontro de Prefeitos & Prefeitas Eleitas - Gestão 2017-2020

A Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão do Paraná, representada pelo seu presidente, Yoshiaki Oshiro, e pelo diretor de Assuntos Institucionais e Públicos, Osmar Kano, está participando do "Encontro de Prefeitos & Prefeitas Eleitas - Gestão 2017-2020", que acontece em Foz do Iguaçu e reúne cerca de 1.800 pessoas.

Promovido pelo Governo do Estado e o Sebrae-PR, o evento faz parte do Programa de Estudos Avançados para Líderes Públicos, é organizado pela Casa Civil e tem o objetivo de apoiar os prefeitos no planejamento dos primeiros dias de administração e apresentar programas do Estado que podem ser implementados nos municípios.

“Os municípios paranaenses têm no Governo do Estado um parceiro fiel e estratégico. Tenham certeza e segurança de que a relação entre o Estado e as prefeituras é e continuará sendo movida e inspirada pelo diálogo e pelo respeito, acima de quaisquer diferenças políticas ou partidárias”, ressaltou o governador Beto Richa aos prefeitos eleitos, gestores e profissionais dos municípios, de diversas áreas durante a abertura do evento. Os ministros da Saúde, Ricardo Barros, e das Cidades, Bruno Araújo, participam deste segundo dia do encontro – que começou quarta-feira e segue até esta sexta.

REFORMA ESTRUTURAL – Ao falar sobre a crise nacional, principalmente a situação de quase todos os estados, o governador defendeu uma reavaliação de toda a estrutura de funcionamento do poder público, o que inclui a União, os Estados, empresas públicas e os municípios. “Não vivemos apenas uma crise de conjuntura, provocada pela recessão que atinge o País. É um grave problema estrutural, que só será sanado com uma reforma racional da composição de gastos do poder público com funcionalismo, encargos sociais e previdência, além da revisão das vinculações de receitas. A atual estrutura de gastos é uma catástrofe anunciada. Por isso, as reformas são urgentes e exigem muita coragem”, afirmou.

O Paraná, disse Richa, também sofre os efeitos da recessão econômica, mas o Estado soube se preparar. Ele ressaltou as primeiras medidas fiscais e de redução de despesas, tomadas há dois anos, e afirmou que elas foram imprescindíveis. “Vemos a situação de muitos outros estados, com salários atrasados ou parcelados, falta de recursos para pagar o 13º e para manter em funcionamento serviços básicos de saúde, educação e segurança pública. O Paraná, ao contrário, depositou ontem não só o salário de novembro dos seus servidores, como antecipou o pagamento de metade do 13º salário. Uma injeção de R$ 2,4 bilhões na economia paranaense, somadas as duas folhas. Isso tudo acontece num momento em que os nossos investimentos estão em crescimento”.

MENOS DESEQUILÍBRIO – Os avanços do Paraná também foram ressaltados pelo governador. Ele lembrou que o Estado recompôs a sua capacidade e é o único no País que elevou os investimentos em 2016, na comparação com o ano passado. “São R$ 5 bilhões aplicados neste ano em obras, ações sociais e programas de governo, incluídas as empresas estatais”, disse ele.

Em 2015, o Paraná tornou-se a terceira maior indústria de transformação do País. Houve descentralização da economia, antes muito focada na região de Curitiba. “As regiões do Estado ganharam mais dinamismo econômico com a instalação de novas empresas e a ampliação de outras. O nível de emprego cresceu nos últimos anos, o padrão de consumo das famílias do interior do Estado é superior ao verificado na Região Metropolitana de Curitiba. Isso significa uma efetiva redução dos desequilíbrios regionais. O Paraná está crescendo de forma mais homogênea.”

Richa mencionou que de 2011 para 2014 o Paraná elevou em 3,8% o seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), com evolução bem acima da média nacional. Dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), do governo federal, também apontam o Paraná como um dos Estados que mais reduziram a miséria nos últimos anos. O número de pessoas extremamente pobres no Estado caiu de 374 mil, em 2009, para 159 mil em 2014, uma queda de 57%. Além disso, foram reduzidos de forma significativa os índices de mortalidade materna e infantil.

COLETIVIDADE – O governador disse aos prefeitos que, mais que números e estatísticas, o que fica na memória das pessoas são os atos e a conduta como gestores públicos. “E este comportamento, mais que nunca, precisa ser permeado hoje pelo compromisso com a coletividade”, afirmou.

Ele lembrou que no seu primeiro mandato, a política salarial dos servidores públicos foi conduzida até o limite da responsabilidade fiscal. Todas as categorias de servidores tiveram expressivos ganhos acima da inflação (em média, mais de 40%), especialmente os professores e os policiais, que hoje têm vencimentos acima da média nacional. Neste ano o funcionalismo voltou a ter a reposição integral da inflação, com reajuste de 10,67% em janeiro.

“É uma conquista inquestionável diante da falta de reajuste aos servidores nos demais Estados, e do desemprego crescente na iniciativa privada. Reconhecemos o papel do servidor e vamos continuar valorizando a categoria, tanto que, em 2017, vamos conceder progressões e promoções que somam R$ 1,4 bilhão”, disse Richa.

“Mas não podemos e não vamos sacrificar os interesses dos mais de 11 milhões de paranaenses, com os quais temos o compromisso de oferecer serviços públicos de qualidade, para ceder a pressões corporativas. O sacrifício de hoje precisa ser partilhado por todos, sem privilégios a grupos ou a setores. Os paranaenses terão sensibilidade e perceberão que deve prevalecer o interesse coletivo da nossa população. O Estado seguirá sendo conduzido com responsabilidade e sensatez.”

PARA OS MUNICÍPIOS - Com todas as adversidades, afirmou Richa, o Governo do Estado manteve o fluxo de transferências aos municípios, o que foi fundamental para que algumas prefeituras se conservassem solventes. Em 2016, o Estado já repassou R$ 6,8 bilhões aos municípios - R$ 5,2 bilhões em ICMS e R$ 1,6 bilhão em IPVA.

Richa informou que o governo estadual está finalizando a negociação para a contratação de 150 milhões de dólares junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para a implantação do programa Paraná Urbano 3, que irá assegurar aos municípios uma nova e importante fonte de financiamento para as suas obras. “São cerca de R$ 500 milhões, que vão se somar aos recursos já existentes e disponíveis para os municípios.”

Também está encaminhada a contratação de um empréstimo de 300 milhões de dólares (cerca de R$ 1 bilhão) para investimentos nas rodovias, em obras de restauração, conservação, terceiras faixas e duplicações. “O equilíbrio fiscal conquistado pelo Paraná nos garante novo aumento no volume de investimentos com recursos próprios em 2017”, afirmou.

Fonte: http://www.liderespublicos.pr.gov.br/

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Consulado Geral do Japão em Curitiba promove jantar entre lideranças ligadas ao projeto de polícia comunitária

Nesta segunda-feira, 28, o Cônsul-Geral do Japão em Curitiba, Toshio Ikeda, recebeu em sua residência oficial, autoridades e líderes da comunidade para um jantar em comemoração ao denominado "Projeto para o Fortalecimento e Multiplicação da Polícia Comunitária no Estado do Paraná".

O projeto é norteado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública em parceria da Agência de Cooperação Internacional do Japão - JICA. Vale dizer que o Japão possui vasta experiência neste tipo de modelo/conceito de segurança pública.

A atividade de Polícia Comunitária é um conceito amplo que abrange todas as atividades voltadas para a solução dos problemas que afetam a segurança de uma determinada comunidade, que devam ser praticadas por órgãos governamentais ou não. A Polícia Comunitária envolve a participação das seis grandes forças da sociedade, frequentemente chamadas de "os seis grandes". São eles a polícia, a comunidade, autoridades civis eleitas, a comunidade de negócios, outras instituições e a mídia.

Em Foz do Iguaçu Torneio Nipo-Brasileiro de Voleibol foi promovido em comemoração aos 121 anos de amizade entre Brasil e Japão

No dia 12 de novembro, o Instituto Cultural e Científico Brasil Japão, realizou na cidade de Foz do Iguaçu, estado do Paraná, o Torneio Nipo-Brasileiro de Voleibol, comemorativo aos 121 anos de Amizade e Relações Diplomáticas entre Brasil e Japão.

Mais de 80 atletas estiveram no Ginásio Sebastião Flor, vindos de São Paulo, Londrina, Paraguai e Foz do Iguaçu, nos naipes masculino e feminino.

A prefeita de Foz do Iguaçu Ivone Barofaldi esteve presente no torneio comemorativo, realizando a entrega das premiações as equipes vencedoras do feminino. A entrega da premiação dos vencedores masculino foi realizada pelo vereador eleito de Foz do Iguaçu Celino Fertrin.

O evento teve apoio institucional da Câmara de Comércio e Indústria Brasil Japão e da Associação Iguaçuense de Voleibol, Educação e Cultura – Aivec; teve também apoio das empresas Agrotec, Império Pizzaria, Sapé Calçados, Allusull e Energia Pura.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Câmara realiza tradicional BONENKAI 2016 no dia 13 de dezembro

A Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão Paraná – CCIBJ-PR – estará realizando seu tradicional BONENKAI 2016 – jantar de confraternização de fim de ano – no dia 13 de dezembro, às 19h30, no Salão Trasteveri do Restaurante Veneza,  no bairro Santa Felicidade, em Curitiba. Haverá sorteio de valiosos brindes oferecidos pelos Diretores e associados da Câmara. Todos os associados e amigos estão convidados.

BONENKAI da Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão do Paraná

Data: 13 de dezembro de 2016 (terça-feira)
Horário: 19h30
Local: Restaurante Veneza / Salão Trasteveri
Endereço: Avenida Manoel Ribas, 6860 – Santa Felicidade – Curitiba – PR
Convite – R$ 80,00 por pessoa
Reservas e Convites até 09/12 pelo telefone (41) 3362-3663 com Glória ou Massue  ou pelo e-mail: ccibj@ccibj.com.br

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Diretor Presidente do Hospital Bom Jesus de Toledo-PR visita CCIBJ-PR

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão Paraná – CCIBJ-PR, Yoshiaki Oshiro e os diretores, Massue Habasaki e Fujio Takamura, receberam no dia 22 de novembro, a visita do Diretor Presidente do Hospital Bom Jesus de Toledo-PR, Dr. Claudio Hayashi.